quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Candidatos?

Com o passar dos dias vão-se materializando o que serão as listas concorrentes às eleições do SCP. Neste momento, segundo noticias nos jornais e rádios, temos:

José Brás da Silva, com o seu Fundo de jogadores para reforçar a equipa
Godinho Lopes, que tráz Luis Duque
Rogério Alves, ainda indeciso, mas a concorrer será sózinho

Temos portanto um mecenas e dois potenciais candidatos que, de uma forma ou de outra, tiveram grande influência no que se passou na última década do Clube (no mínimo foram "cumplices" das administrações).

Confesso que estou cada vez mais preocupado.

6 comentários:

JMK disse...

Acho absurda a tua análise.

A pluralidade que existe é desejável. Quanto ao Braz da Silva, ele não é mecenas porque ele não vai investir 50 milhoes mas sim criar um fundo com um grupo de investidores que, eles sim, invistam 50 milhoes.

É normal num clube sem capacidade de investimento que existam soluções externas. Não é algo novo noutros clubes por isso não sei porque raio estás preocupado.

Claro que Roquette e companhia não querem, mas acho piada pessoas que criticam Roquette e companhia usarem o mesmo vocabulário e da mesma forma incorrecta.

Gnitrops disse...

Porque é que o Braz da Silva há-de ser um Mecenas?

O Roquette é um pobrezinho é?

Que eu saiba não vai ser nenhum Abrahmovic que vai para o Sporting fazer lavagem de dinheiro...

Acho que nesta altura temos é que aguardar pelas candidaturas e respectivos projectos. Não vale a pena andar a mandar tiros para o ar sem nexo...

SL

MRL disse...

Caro JMK,

Não critiquei a pluralidade.
Brás da Silva, mecenas ou não, apareceu com o trunfo do Fundo. Não sei de onde virão os investidores, se de Angola ou de Cabo Verde, mas estarei sempre contra uma solução que passe pela entrada de capital de terceiros, muito menos de origem duvidosa.

A solução que eu defendo é uma gestão competente e criadora de valor, coisa que não temos há muitos anos.

Caro Gnitrops,

A diferença entre Brás da Silva e José Roquette é que o 2º nunca acenou com dinheiro. Apontou sempre como solução para o clube uma outra orientação estratégica. Funcionou mal, é certo, mas porque foi mal aplicada.

Garante-me que não será lavagem de dinheiro? Será que existem mesmo investidores com vontade de disponibilizar 50 milhões com o intuíto de rentabilizar o seu dinheiro?

Concordo com o final do seu comentário: Aguardemos pelos projectos, se é que vao aparecer.

JMK disse...

Gestão criadora de valor?? Meu caro, o Sporting está, de momento, refém da divida que tem.

O fundo é uma forma de investir, não é dinheiro injectado no Sporting e não é nada que os nossos rivais e muitos outros clubes não façam.

Investimento de fora em fundos de mutuo benefício é do mais normal, acho estranho tu achares estranho visto que revela um imenso desconhecimento do que é o futebol hoje.

Anónimo disse...

O que cheirava Cristian Rodriguez ? Caso de Doping? - Porto vs Benfica

http://conversasbola.blogspot.com/2011/02/o-que-cheirava-cristian-rodriguez-caso.html




--

MRL disse...

Caro JMK,

claro que estamos reféns da dívida porque andámos décadas a investir sem qualquer retorno. O contrário daquilo que defendo.

O investimento de fora, como se lê hoje nos jornais, afinal não é de fora. É de dentro. Dinheiro meu, seu (presumindo que é sócio) e de todos nós.

Afinal não é mecenas...