segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Nem 8, Nem 80!



Confesso que sou dos poucos que não se mostram extraordinariamente apreensivos pelo que vi no sábado! Se calhar porque também não era daqueles que achavam que já eramos os melhores do mundo!

O Treinador é novo, metade do plantel é novo, os processos são novos, a hora ainda é de experiencias. Além disso, não me esqueço que nos primeiros 2 jogos oficiais que fez no Braga, Domingos perdeu 2 vezes na pre eliminatoria da Liga Europa contra uma equipa sueca desconhecidissima e teve uma serie de vozes a pedir logo a sua cabeça. Que não rolou e a seguir aconteceu tudo o que sabemos!

Vamos com calma...Há certamente muita coisa a melhorar, mas há que dar tempo ao tempo. Ninguém pode honestamente pedir que uma equipa que ficou quase a 40 pontos do primeiro no campeonato passado e foi totalmente renovada seja agora o primeiro candidato em Portugal a ganhar tudo...Não somos o candidato nº 1 a nada e tudo o que vier por acréscimo será bom. Obviamente que não foi bonito ver uma equipa como a de sábado jogar completamente desligada, sem qualquer ligação entre sectores e a cometer erros primários, mas os jogos particulares servem mesmo para tirar ilações e melhorar. Ainda faltam 2 semanas para começar a competição a doer e tenho esperança que até lá muita coisa mude!

Tudo o que escrevi não significa que não esteja apreensivo em relação a muita coisa que vi no sábado, mas é uma apreensão moderada, porque tenho muita esperança nesta equipa técnica e acho que sabem o que estão a fazer...

O que me assustou mais no jogo com o Valencia (bela equipa) foi a defesa. Onyew que me tinha enchido as medidas contra a Juventus mostrou desta vez muitas debilidades no jogo pelo chão. É forte em bolas pelo alto, mas no chão mostrou lentidão e deficiencias de colocação graves. Contudo, há que dar tempo ao tempo, até porque me lembro dos primeiros jogos de um tal de Luisão em Portugal em que deficiencias muito piores saltaram à vista...O jogador está claramente fora de forma e portanto é melhor não tirar conclusões precipitadas. No entanto, o quarteto de centrais não me dá a confiança que gostava. Espero estar enganado a este respeito...Especialmente quanto a Rodriguez que não me impressiona muito e quanto ao americano, vamos ver...

No meio campo, também Rinaudo me desiludiu. Mostrou-se muito fragil quando pressionado por adversarios a jogar com as linhas muito altas e perdeu muitas bolas em zonas criticas. Contudo, tem a atenuante de ter jogado muito só e desprotegido na sua zona de acção!

Rubio, Shaars e Volkswinkel não me impressionaram, mas ainda é muito cedo para tirar conclusões. Já Capel e Carrillo mostrara coisas interessantes e gostei de uma série de pormenores no primeiro, que mostrou pinta de jogador. Luis Aguiar acrescenta valor e é uma fonte de esperança!

Dos que já conhecemos, Izmailov e João Pereira ainda muito estão longe da forma ideal, Carriço mostrou debilidades conhecidas, Evaldo não aqueceu nem arrefeceu e Polga, Postiga e Djaló mostraram estar já razoavelmente bem, tendo sido dos melhores da noite de sábado! Patricio é um valor seguro apesar da hesitação no primeiro golo.

O melhor do jogo de apresentação foi mesmo o ambiente tremendo e aquela casa cheia de que já tinha saudades. Espero que seja para repetir embora tenha a noção que a equipa vai ter de ajudar par isso suceder!

4 comentários:

Ana disse...

Ora então somos 2: "Confesso que sou dos poucos que não se mostram extraordinariamente apreensivos pelo que vi no sábado" - Há uma equipa a construir, e convem que se conheçam primeiro... Lá estarei para os apoiar. AnaDD

MRL disse...

Já eu fiquei muito apreensivo, não por expectativas que tivesse, mas porque voltei a ver erros crassos na nossa equipa:
1. avançados a correr para os cantos
2. táctica com dois avançados
3. cruzamentos para trás da baliza
4. centrais a irem à queima

Por outro lado não entendo a diferença em termos fisicos. Os jogadores do Valencia passavam pelos nossos jogadores com uma facilidade tremenda. Utilizando apenas a velocidade.

De qualquer forma, e falando de mim, esta apreensão passa passados uns dias. 6ª feira estarei a ver o jogo contra o Malaga como se nada tivesse acontecido e com esperanças renovadas que este treinador irá mudar esta situação.

Manuel disse...

Eu discordo de alguns pontos da análise, nomeadamente no que diz respeito ao Luís Aguiar, que achei lento, sem presença e com um jogo de pés absolutamente banal, e ao Postiga que achei displicente e sem garra, ao contrário do que costumo esperar dele.

No geral acho que o 4-1-3-2, a meu ver, não é táctica para o futebol moderno e muito menos o é contra uma equipa rápida e atacante como o valência. Aliás, viu-se bem que o 4-3-3 da segunda parte, mesmo tendo em conta a descida de rendimento do Valência, foi bem mais estável e ligado entre os sectores.

No entanto e como sempre, estou esperançoso e confiante em dias melhores :)

JG disse...

De facto, houve coisas que não funcionaram bem, mas os cruzamentos para tras da baliza e os centrais a irem à queima foram muito consequencia da tactica utilizada e aí concordo com o Manuel que de facto aquele sistema com aqueles jogadores não funcionou. Rinaudo não é jogador para jogar assim sozinho e desprotegido e é muito fragil quando é apertado. Djaló e Izmailov (pelo menos este Izmailov sem pernas) não funcionaram, nem a atacar, nem a defender e os centros para tras da baliza acabam por ser naturais quando não se consegue ganhar a linha e se cruza em dificuldade como aconteceu na maior parte das vezes. Alem disso, os centrais tiveram muitas vezes que ir á queima e tentar a antecipação em condições desfavoraveis porque apanhando com as vagas de jogadores espanhois embalados e de frente ficavam a ver jogar de binoculos...

Quanto a Luis Aguiar, discordo até porque não nos devemos esquecer que vem de uma operação recente...

De qualquer modo, estes jogos servem mesmo para fazer experiencias e tirar conclusões. Para não acontecer o que se passou no ano passado em que as experiencias foram feitas em competição e ainda se sucediam quando o campeonato já ia no fim do segundo terço...