sábado, 15 de novembro de 2008

Dificil explicar esta derrota...

Cheguei agora a casa e ainda estou em choque. E ainda não consegui perceber como perdemos este jogo. A quantidade de oportunidades de golo desperdiçadas davam para ganhar 4 jogos e no entanto...o Leixões na segunda vez em que chegou á baliza com perigo, marcou...e ganhou!

Azar? Falta de talento? Falta de cabeça? Se calhar foi um pouco de tudo isto...De qualquer modo, hoje vi a equipa jogar futebol, mesmo que não tenha sido do outro mundo e isso apesar de tudo atenua a tristeza. Mas fica um sabor grande a amargura na boca...

Ainda por cima, estava meio adoentado e foi mesmo á ultima que decidi saír de casa. Para voltar de cabeça baixa...É a vida!

Postiga começa a fazer-me confusão. Joga futebol, está onde deve, trata a bola com muita doçura, abre espaços, mas na cara do golo...não marca e complica! De resto, penso que não posso destacar ninguém. Nem pela positiva, nem pela negativa! A equipa esteve genericamente bem, só que não marcou. E quando Izmailov deu aquele brinde a uma equipa que até aí não tinha feito nada para marcar (excepto quando Veloso tinha dado outro brinde uns minutos antes) o mundo desabou!

Agora vai ser preciso uma força psicologica grande para dar a volta a esta derrota! E precisamos de estar todos unidos em torno do Sporting! Até porque a equipa finalmente começa a jogar futebol! VAMOS ACREDITAR! Quanto á equipa, os grandes homens vêm-se nos grandes momentos! Cabe-lhes a eles mostrar de que raça são feitos!

2 comentários:

Leo Nino disse...

Fim de ciclo para Paulo Bento. Já vimos que aquilo não dá mais.

Leão de Alvalade disse...

No seu caminho para a Glória neste campeonato o Sporting ontem tropeçou pela 2ª vez na casa que o faz andar 3 pontos para trás. A diferença entre o jogo da minha meninice e o jogo que o Sporting fez ontem é que no 1º contava exclusivamente a sorte ditada pelos dados. Ao contrário, nos jogos que o Sporting faz para ser campeão, conta mais a forma regular com que se exerce a competência colectiva e individual, a qualidade do jogo e a atitude com que se abordam os jogos. O factor sorte também conta, como em qualquer jogo. Ontem, em Alvalade, vimos uma equipa displicente porque jogou dando ares que “aquilo” mais tarde ou mais cedo se resolveria. Vimos uma equipa incompetente na hora de sentenciar a partida nos falhanços de Romagnoli, Postiga e até Carriço. E uma equipa sem sorte pela forma como, em 10 minutos, perdeu 2 jogadores por lesão.

A realidade é que, desde ontem, deixamos de depender de nós para sermos campeões, se os nossos vizinhos hoje ganharem. E se ainda dependêssemos de nós, desta equipa e treinador, como poderíamos nós confiar perante estes desempenhos?

O seu sportinguismo, meu caro JG, é exemplar mas esta equipa não sei se merece tanto.